sábado, 27 de agosto de 2011

Visite o RIO GRANDE DO NORTE - Capital Natal


Rio Grande do Norte - Veja principais características a seguir.



O Rio Grande do Norte é a terra do sol. De praias de areias brancas, dunas, coqueiros e muito sossego. Um lugar para descansar, admirando a beleza da paisagem, o verão dura o ano inteiro e o calor é amenizado por uma brisa constante. Com 410 km de litoral, o Rio Grande do Norte tem praias de mar calmo, com piscinas naturais formadas por arrecifes. O Estado possui algumas das mais belas praias do litoral brasileiro, distribuídas ao longo de 410 km de costa. De uma ponta a outra, o sol aquece com carinho a pele de quem visita esta terra. De areia grossa ou fina, com dunas ou falésias, existem praias para todos os gostos e tribos, repletas de piscinas naturais, águas mornas, com ou sem ondas radicais, somente esperando por você. Tem também praias com ondas boas para o surf, e praias quase desertas, com dunas e coqueirais. Além do sol e da natureza, o Rio Grande do Norte tem o povo hospitaleiro, que faz questão de mostrar ao visitante o que o estado tem de melhor. Você precisa conhecer esse paraíso de mar azul e muito sol, artesanato, frutas e pratos típicos deliciosos.

O Forte dos Reis Magos deu origem à cidade de Natal. Em 25 de dezembro de 1599, os portugueses desembarcaram no Rio Grande do Norte para expulsar os franceses que haviam se apossado dessa parte do litoral. E na foz do rio Potengi, começaram a erguer a fortaleza para proteger o território. Hoje, o Forte é uma das atrações na cidade mais preferida dos turistas. Na Via Costeira, uma avenida que margeia algumas de suas praias, há um conjunto de resorts e grandes hotéis, que oferecem muito conforto e lazer. Perto dali, na praia de Ponta Negra, dezenas de pequenas pousadas simples e aconchegantes. Conhecida como Cidade do Sol, Natal, com sua rica culinária e artesanato, é terra que também desperta paixão pelo aconchego do seu povo e pelas paisagens paradisíacas. É onde se respira o ar mais puro das Américas e é onde se encontra o segundo maior parque florestal urbano do país. Natal também é conhecida pelos passeios de bugue nas dunas. 

A orla marítima central de Natal reúne excelentes praias: Areia Preta, Praia dos Artistas, do Meio, Do Forte, Ponta Negra e Redinha. Na praia do Forte está a Fortaleza dos Reis Magos, principal monumento histórico-cultural da cidade que tem uma enseada ideal para o banho. A mais concorrida badalada praia potiguar é Ponta Negra. A Redinha completa o circuito das praias de Natal, onde está localizado o tradicional Mercado da Redinha. Além da beleza de suas praias, Natal tem ainda o Parque das Dunas, o segundo maior parque urbano do país, nele há duas trilhas, pista para caminhadas e várias alternativas de lazer para crianças e adultos.


Dentre Muitas, Veja Algumas Atrações Turísticas No Rio Grande Do Norte


Acari: Considerada a cidade mais limpa do Brasil e a musa do Seridó, Acari é uma das cidades mais antigas do interior do Rio Grande do Norte. Sua beleza natural reúne imensas serras e grandes reservatórios de água. O Açude Gargalheiras é composto por um belíssimo cenário. Escalar a Serra do Bico da Arara é um desafio a mais; suas grutas abrigam milhões de andorinhões vindos da África. Uma viagem inesquecível.
 
Baía Formosa: A 94 km de Natal, Baía Formosa conta com a maior reserva de mata atlântica do Estado sobre dunas, a Mata Estrela, onde se podem fazer trilhas com o acompanhamento de um guia. A lagoa da Coca Cola, apesar de ter água escura é um lugar de rara beleza. Além disso, possui as boas praias.

Barra do Cunhaú: Desconhecida pelos turistas até pouco tempo, a vila de pescadores atrai cada vez mais visitantes que procuram tranqüilidade e contato com a natureza.

Búzios: Uma das maiores praias do litoral sul, é ótima opção para quem procura lugar surfar sem precisar ir muito longe. A presença de uma barreira de recifes próxima à costa proporciona um mar calmo de águas transparentes, ideais para mergulho.

Caicó: Conhecida como a Rainha do Seridó, está a 269 quilômetros de distância da capital. O município possui vários açudes. Seu artesanato é destaque nacional.

Galinhos: Um espetáculo imperdível - o silêncio e a tranqüilidade entre o rio e o mar envolvem os visitantes. Localizada no litoral Norte do Estado, a 166 quilômetros da capital. O acesso é feito de barco, a partir do Pratagil. Com salinas naturais formando verdadeiras pirâmides; lugar de belas praias.

Genipabu: A 30 km da capital, lugar de enormes dunas claras e lagoas onde está localizada a mais famosa praia do RN e também a mais freqüentada pelos turistas. 

Jacumã: A 49 km da capital, é a "menina dos olhos" de muitos veranistas. O requinte das casas de veraneio é sua principal característica; de águas tranqüilas; tem ainda uma exótica e romântica cachoeirinha, com águas límpidas, rasas e bem relaxantes. 

Maracajaú: A 51 km de Natal, belíssima praia, as barreiras de corais formam piscinas naturais repletas de pequenos peixes onde é possível surfar por causa do vento constante.

Macau: A 180 km de Natal, possui praias calmas e límpidas, formando, assim, um complexo natural e paradisíaco para a prática de banhos e de esportes náuticos.

Martins: Considerada a Campos do Jordão do Rio Grande do Norte, localizada numa região serrana, a 362 de Natal, de clima excelente, ar puro e agradável. Merece atenção a Gruta da Trincheira, Casa de Pedra, Pedra Rajada, Pedra do Sapo, Reserva Ecológica do Sr. Clezinho, o Museu Histórico, o Museu Demétrio Lemos, os Mirantes e as Trilhas.

Pipa / Tibau do Sul: Um lugar diferente a 88 km de Natal. Pelas ruas ecoam os mais diversos idiomas e sotaques. As caminhadas pela praia, à miscelânea de costumes e tipos não geram um agradável desequilíbrio ambiente. Tem um bonito artesanato.

Pirangi: A 30 km de Natal, tem piscinas naturais ótimas para mergulhos livres. Um curioso fenômeno natural: um cajueiro com mais de 8 mil m², o maior do mundo.

Portalegre: Conhecida Tromba do Elefante, a 366 quilômetros de Natal. Fica no alto de uma serra e lá o visitante encontra as atrações naturais em estado bruto, como as verdadeiras piscinas. No artesanato, o destaque é para as redes de dormir.

Praia do Marco: Localizada no município de Pedra Grande, é assim chamada devido a um marco trazido e ali fixado pelos portugueses em 1501, considerado pela grande maioria dos historiadores o mais antigo das Américas, fato este que alimenta a teoria de que o Brasil teria sido descoberto na costa potiguar. Localizada a 112 km de Natal, essa linda e tranqüila praia oferece ao visitante uma belíssima paisagem formada de grutas e barcos pesqueiros "descansando" sobre as ondas do mar.

Barra de Punaú: É uma reserva do turismo do Estado a 86 km de Natal. Localizada no município de Rio do Fogo, Barra de Punaú é um espaço natural singular, tanto para desfrutar de um belíssimo pôr-do-sol como deliciar-se de um agradável banho em suas águas escuras. O rio divide as praias de Zumbi e Pititinga, podendo, ainda, o visitante admirar lindas e singelas vilas de pescadores.

Touros: O município está localizado no litoral norte do Estado, a 87 quilômetros de distância da capital. É um lugar privilegiado pela sua localização, devido ao encontro dos litorais norte e leste do Brasil. As praias de Carnaubinha, das Garças, Perobas e Cajueiro exibem o potencial natural de Touros. Não se deve deixar de apreciar também o Farol do Calcanhar, o maior da América Latina, e o monumento desenhado por Oscar Niemeyer, chamado o Marco Zero da BR-101; e é através desta BR que se chega ao município.

Via Costeira: Situada à beira-mar, a Via Costeira é o único distrito turístico urbano do Brasil com 10 km de extensão. Sinônimo do desenvolvimento turístico em Natal abriga grande parte da rede hoteleira, tendo como cenário, de um lado, o Parque das Dunas e, do outro, praias de impressionante beleza. Trafegando ao lado de 9 quilômetros de dunas preservadas chega-se ao Centro de Convenções. Ficar na Via Costeira é uma questão de privilégio.






















E mais: O Rio Grande do Norte tem muitas outras atrações, visite-nos e confira!





DANÇAS FOLCLÓRICAS - RN

As danças folclóricas do Rio Grande do Norte foram sempre muito elogiadas pelos estudiosos. Na década de vinte, Luís da Câmara Cascudo (considerado o maior folclorista nacional), escreveu centenas de livros e nos jornais sobre a beleza de nossas danças folclóricas. Na década de 30 Mario de Andrade, veio estudar a cultura potiguar deixando uma obra valiosíssima. Além deles outros pesquisadores deixaram rico acervo, foram Manoel Rodrigues de Melo, Hélio Galvão e Oswaldo Lamartine.

As danças ou os autos do Rio Grande do Norte reproduzem as cantigas (fiéis aos autores). Vamos conhecer os Auto Populares ou Folguedo Folclóricos:

Boi Calemba: Também conhecida como Boi de Reis ou Bumba-Meu-Boi, é um auto popular que trata da morte e ressurreição de um boi.

Fandango: Auto que evoca as grandes aventuras dos navegantes portugueses. O auto gira em torno da “Nau Catarineta”, navio que andou perdido no mar sete anos e um dia, até aportar nas praias de Portugal.

Chegança: Outro auto que evoca os trabalhos do mar, na longínqua época das grandes navegações e descobrimentos, a diferença é que essa aqui é a representação entre Cristãos e Mouros. A barca aqui é a “Nau Fragara”.

Congos: Conta a história de uma batalha entre os hostes guerreiras de soberanos africanos, o rei Henrique Cariongo e sua famosa irmã, a rainha Ginga. As cantingas e embaixadas são uma verdadeira algavaria, uma loucura emocionante. Atualmente existem dois grupos de congos: os Congos de Calçola ou de Combate, na vila de Ponta Negra e os Congos de Guerra, na vila de Santo Antonio em São Gonçalo do Amarante.

Lapinha: Auto religioso, criado para celebrar o nascimento de Jesus Cristo.

Pastoril: Ao contrário da Lapinha, auto religioso do qual se originou, o Pastoril é folguedo profano. Deslocaram o espetáculo do adro das igrejas para o meio das ruas e a introdução no Pastoril de um velho, que substitui o pastorzinho da Lapinha e se tornou responsável pelas piadas pornográficas, introduzidas no Folguedo.

Cabocolinhos: Este é um auto cuja origem os estudiosos divergem. Alguns consideram que é uma dança dos índios brasileiros, enquanto outros acham que a inspiração dos Cabocolinhos é de origem africana. Existem dois grupos no município de Ceará Mirim. Além dessas danças temos as Danças Dramáticas, ou Danças Puras, que o povo dança apenas para se divertir e as danças em homenagem aos santos.

As danças brincantes são: Coco-de-Pau, o Bambelô – característicos do litoral e do agreste. Maneiro de Pau que só existe na zona serrana do Oeste Potiguar.

As danças religiosas: Espontão – realizada na Festa de Nossa Senhora do Rosário em Caicó e em Jardim do Seridó. 

Dança de São Gonçalo – realizada no alto das serras de Portalegre e São Miguel, comemorando o nascimento do Santo, ou dançando no pagamento de promessas. Bandeirinhas - dança do ciclo de São João em Touros. Capelinha de Melão - dança do ciclo de São João em municípios do litoral leste potiguar.

Araruna– grupo Sociedade Araruna com sede própria no bairro das Rocas em Natal, diferente das outras danças que possuem semelhanças com as danças nordestinas essa dança de destaque é genuinamente potiguar.







1 comentários:

  1. hola soy de caracas-venezuela....que hermosa es rio grande del norte.y su capital natal me quede impresionado....sus playas,,parques,,plazas.cultura...musica,,,todo..muito bello...GUUUUUUUUUUUAAAU....me gustaria conocerlo en persona,,,

    ResponderExcluir